Chocolate do Bem!

Com fama de ajudar a emagrecer (dizem que aumenta a sensação de saciedade) e de reduzir a oxidação do LDL (colesterol ruim), evitando que ele se deposite na parede dos vasos sanguíneos, o chocolate com altas porcentagens de cacau (acima de 70%) faz sucesso entre os adultos –mas nem tanto entre as crianças.
Abaixo, veja as opções disponíveis em seis docerias:

cacau
Valrhona
A marca francesa de chocolates premium trabalha com opções feitas com 70% e 85% de cacau. A barrinha de 20g 70% sai a R$ 6, e a caixa de metal com 18 “carrés” 70% custa R$ 41.
Chocolat du Jour
A marca de luxo oferece a linha Pratigi (70% cacau), com brigadeiros (R$ 98,70, a lata com 22), bombons (R$ 145 a caixa), chocolate quente (R$ 98 a caixa com oito sachês), “barras quebra-cabeça” (R$ 31 por 120g) e “palitinhos” (R$ 16,50 por 40g), além da barra tradicional (R$ 76 por 190g). O cacau é produzido na Bahia, e a produção é ecologicamente assegurada.
Munik
A doceria trabalha apenas com um tipo de chocolate com 70% de cacau: o amargo. Vendido em barra, custa R$ 115,60 o quilo e está disponível em todas as lojas. Na doceria central há outros tipos do chocolate 70% (sob consulta).
Chocolat des Arts
Oferece barras de chocolates a 70%, 80% e 85% de cacau, nacionais (R$ 15) e importadas (R$ 13,50). Da Tanzânia e de Gana vêm o cacau que produz o chocolate belga Callebaut. A loja também oferece o francês Valrhona Abinal 85% e o baiano Amma. Além dos tabletes, há bombons amargos.
Kopenhagen
A chocolateria oferece tabletes de 25g feitos com 70% cacau, nos sabores tradicional e laranja (R$ 3,30 cada).
La Vie en Douce
A doceria tem a opção do chocolate belga Callebaut em tablete (R$ 8, cada), com 70% de cacau plantado na Tanzânia.

fonte: Folha de SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *