Diário de Viagem – ParteII

Nos outros dias, visitei mais duas vinícolas, essas maiores que a Tempus Alba e no Valle de Uco. Ambas têm vista linda da Cordilheira dos Andes. A primeira delas é a O. Founier e a segunda visitada foi a Salentein. As duas possuem ligação com a arte, sendo que a Salentein tem até uma galeria com quatro exposições anuais. A Salentein também conta com uma pousada dentro da propriedade.

Me apaixonei pela vista da vinícola O. Fournier
Vinícola O. Fournier
Vinícola O. Fournier
Vista da Cordilheira na vinícola O. Fournier
Vinícola Salentein
Pousada da vinícola Salentein

 

Durante as noites, sempre saía para jantar em um local diferente. Em uma das noites, jantei no restaurante do hotel cinco estrelas Park Hyatt, bem no centro de Mendoza, que conta também com um cassino. Uma das coisas que chamou minha atenção é que a cozinha é aberta, quem está no restaurante vê a preparação dos pratos. Escolhi minha jaqueta dourada e uma saia da Kauê, ambas de couro ecológico, para combinar como local eme proteger do frio.

Jantar no Hotel Park Haytt
Vestida para jantar

No meu penúltimo dia em Mendoza, iria para o monte Aconcágua, que é o mais alto das Américas, na divisa com o Chile. Fui com  meu grupo até a metade do caminho porque, ao parar em um restaurante, soubemos que a fronteira tinha acabado de ser fechada por conta de uma nevasca. Apesar de já ter ido ao Aconcágua, fiquei triste. Aproveitamos para visitar a cidade de Uspallata. No Gran Hotel Uspallata, achei uma área de árvores linda e aproveitei para fazer muitas fotos.

 

Na estrada em Uspallata
No Gran Hotel Uspallata

 

Típico cenário de outono em Uspallata

Na volta para a capital, fomos pela Rodovia 7, que tem uma vista linda das montanhas. Aproveitei, ainda, para ir ao centro de Mendoza. Uma curiosidade é que as lojas lá abrem às 08h00, fecham às 13h00 e retornam a abrir apenas às 17h00. Mas, no sábado, muitas delas nem voltam à ativa. O centro é bem bonito, com muitas praças e áreas verdes. Vale à pena sentar, tomar um café, comer uma empanada e apreciar a paisagem.

 

Rodovia 7
Amei esse lugar

Recomendo Mendoza, principalmente, para casais que querem curtir o clima de inverno, beber bons vinhos e comer bem. E, para aqueles que gostam de jogos, também achei a cidade uma ótima opção. Os passeios pelas vinícolas, são 120 abertas para os turistas, podem ser feitos com excursão, de carro e até de bike em algumas. Saí com a sensação de que Mendoza é um daqueles destinos únicos que você pode andar o mundo e não encontrar outro igual. Espero poder voltar um dia.

Sylvia Barreto

 

*Viajei a convite do Ministério do Turismo de Mendoza

Fotos: AnnaPaula Franco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *