Kauê Viagem: Deserto do Atacama

Nossa, modelo Sylvia Barreto embarcou em uma viagem ao Deserto do Atacama e conta aqui tudo sobre esta incrível jornada!

Sylvia com look Kauê! Clique para comprar o seu também!
Sylvia com look Kauê! Clique para comprar o seu também!

Eu sempre quis conhecer o Deserto do Atacama. Mas, tinha ideia que seria uma viagem bem cansativa. No começo deste mês, fui para o local convidada pelo hotel Tierra Atacama (www.tierraatacama.com). Pelas fotos, já dava para perceber a infraestrutura do empreendimento, mas não achei que ele facilitasse tanto a viagem, como depois vi que facilitou.

 

O transporte

O aeroporto mais próximo do coração do deserto, a cidade de San Pedro de Atacama, é Calama. Do Brasil, temos que pegar um voo até Santiago e de lá para Calama. Quando o passageiro chega no Aeroporto de Calama já tem uma van do Tierra Atacama esperando. Até o hotel é um trajeto de pouco mais de uma hora. No caminho, observe a paisagem, do meio do deserto, podemos ver a Cordilheira dos Andes e a neve eterna no topo de suas montanhas e vulcões.

O hotel e os passeios

O Tierra Atacama inclui tudo, mas tudo mesmo. Além de todas as refeições e bebidas, até alcoólicas, ele tem uma cartela de 34 excursões. Os passageiros podem escolher até dois roteiros que dure metade de um dia ou um de dia inteiro por diária. O hóspede não gasta nada, independente do passeio que escolher, entradas, guia e transporte estão inclusos.

Vista do hotel
Vista do hotel

Eu fiz quatro passeios, esperava andar muito e sofrer, mas foi bem tranquilo. O primeiro deles foi “Toconao e Salar do Atacama”. Dura meio período.

Cidade de Toconao
Cidade de Toconao

Conheci o vilarejo de Toconao, que tem um sistema de irrigação bem interessante para o aproveitamento da pouca água do deserto e segui para o Salar do Atacama.

Flamingos no Salar do Atacama
Flamingos no Salar do Atacama

O salar é um lugar lindo, coberto de sal e cheio de flamingos. A paisagem é sensacional. Quando estava lá, toda embasbacada com a beleza do lugar, o guia arma uma mesinha, tira duas caixas térmicas do carro e monta uma mesa cheia de petiscos e refrigerantes. Só não tinha vinho porque não é permitida bebida alcoólica no Salar.

Petiscos oferecidos na excursão.
Petiscos oferecidos na excursão.

Como o céu do Deserto do Atacama é conhecido por sua ótima visibilidade, há passeios noturnos. Na primeira noite, fui ao Valle de la Muerte para fazer uma caminhada com a lua cheia banhando o vale. A vista da lua e das estrelas merece mesmo ser apreciada, é um céu limpo que quem mora na cidade, como eu, tem poucas chances de ver. Essa foi a caminhada mais difícil fisicamente para mim. Tinha parte com areia fofa e até um a duna que tive que subir. Fui devagar e consegui. No final, lanchinhos e dessa vez, vinho.

Valle de la Luna
Valle de la Luna

No dia seguinte, pela manhã, caminhei com meu grupo pelo Valle de la Luna. Tem paisagens incríveis com o branco do sal se misturando com a terra seca do deserto, parece neve quando olhamos de longe, mas é sal. Ele aparece mais quando chove, como tinha chovido muito uns dias antes, estava bem visível.

Valle de la Luna
Valle de la Luna

Na parte da tarde, após almoçar no hotel, foi hora de ir até Termas de Puritama. Um local a pouco mais de 3.000 de altitude que as pessoas vão para tomar banhos nas termas, há umas oito por lá. É um passeio bem tranquilo, sem esforço físico algum e apenas para descansar mesmo.

Termas de Puritama
Termas de Puritama

Antes de retornar ao hotel naquela noite, passei com meu grupo pela cidade de San Pedro de Atacama. Fica a uns 15 minutinhos a pé do Tierra Atacama. A rua principal é Caracoles, na qual estão diversas agências de viagem, bares e restaurantes. Um charme.

San Pedro do Atacama
San Pedro do Atacama

A viagem foi corrida porque fiquei poucos dias, mas os passeios em si não foram cansativos como eu imaginava. Claro que há outros passeios para fazer de diversos níveis de dificuldade, depende da escolha de cada um.

Piscina do hotel.
Piscina do hotel.

Independente do passeio, senti que ficar no Hotel Tierra Atacama, que te dá desde um cantil de água e até lanche durante o passeio, facilita muito a vida.

As refeições são a la carte, porém, há buffet em alguns domingos quando o hotel está cheio
As refeições são a la carte, porém, há buffet em alguns domingos quando o hotel está cheio

Claro, o conforto tem um custo. O recomendado é ficar lá pelo menos três noites, o pacote para esse período custa a partir de US$ 1.700 por pessoa.

Javali, um dos pratos que apreciei.
Javali, um dos pratos que apreciei.

 

Vale isso mesmo? Pela minha experiência com hotéis, posso dizer que é um dos melhores que fiquei no mundo e tem serviços e instalações que, realmente, valem o valor cobrado. Tem muito hotel no Brasil mesmo que cobra isso e não te dá metade do conforto do Tierra Atacama.

Meu quarto.
Meu quarto.

 

O que levar na mala?

Deserto do Atacama 01

Quem vai para o deserto muitas vezes não imagina que faz muito frio à noite. Durante o dia, o calor é grande mesmo. Para os passeios indico roupas esportivas e um bom tênis ou bota para caminhadas. À noite a história é outra. Para jantar, coloque uma roupa de frio, indico uma boa calça e uma jaqueta ou casaco. Eu usei essa roupa da foto para um dos jantares com uma botinha. Aliás, a jaqueta você pode levar só uma e usar várias vezes para se proteger do frio das noites e até do comecinho da manhã, é uma peça chave e muito prática, além disso, dá para usar no avião para se proteger do frio do ar condicionado. Um cachecol também é bem-vindo, mesmo para passeios diurnos, dependendo da altitude, venta bastante.

Compre sua jaqueta também clicando AQUI E a calça AQUI.

 

Sylvia Barreto

*Viajei a convite do Hotel Tierra Atacama para o site Viajar é Simples

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *